Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Notícias

Pesquisadora do Inpa receberá comenda da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho

  • Última atualização em Quinta, 10 de Agosto de 2017, 13h13
  • Acessos: 787

Noemia Ishikawa pesquisa fungos Amazônicos. Ela receberá a homenagem no Grau de Comendador, dedicada a cientistas, pesquisadores, secretários do Governo dos Estados da União e Distrito Federal, conselheiros de Embaixada ou Legação estrangeira, entre outros

 

Da Redação – Ascom Inpa

Foto: Luciete Pedrosa

 

Em reconhecimento aos estudos que desenvolve há 26 anos com cogumelos, a pesquisadora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Noemia Kazue Ishikawa, receberá a comenda da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho no grau Comendador. A homenagem será feita nesta sexta-feira (11), às 17h (Brasília), pelo Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília.

 

Criada em 1970, a comenda reconhece pessoas e instituições que se destacaram por suas profissões ou serviram de exemplo para a sociedade. Também reconhece pessoas que tenham contribuído para o engrandecimento do país, internamente ou no exterior. A ordem do Mérito Judiciário do Trabalho é conferida em seis graus: Grão Colar, Grã Cruz, Grande Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro.

 

Ishikawa diz estar honrada em receber a condecoração pelas quase três décadas de pesquisas com cogumelos. “Como bióloga, fico feliz em representar o Inpa e a ciência ao lado de ilustres personalidades como a Ministra Cármen Lúcia Rocha, Bernardinho, Viviane Senna, desembargadores, militares e médicos”, contou a pesquisadora, que no ano passado lançou o livro Embaúba: uma árvore e muitas vidas.

 

 

Noemia Ishikawa Foto Luciete PedrosaINPA

 

“A condecoração é uma oportunidade inédita para mim de divulgar, no Ministério Público, nossas pesquisas com biodiversidade de cogumelos da Amazônia, na busca de alternativas de uso de cogumelos nativos na gastronomia, projetos com indígenas e projetos em colaboração com instituições internacionais como o Japão, Estados Unidos e Espanha”, complementou a pesquisadora.

 

Pesquisas

 

A bióloga com doutorado em Recursos Ambientais pela Hokkaido University (Japão) estuda os cogumelos desde 1991. Ishikawa tem experiência na área de micologia atuando principalmente com biologia e fisiologia de fungos formadores de cogumelos, cultivo de cogumelos comestíveis (fungicultura) e na busca de novos compostos antimicrobianos de origem fúngica.

 

Na gastronomia, as pesquisas de Ishikawa com os cogumelos da Amazônia despertaram o interesse de renomados chefs em âmbito nacional e regional respectivamente, como Alex Atala e Felipe Shaedler, na busca de ingredientes regionais para elaboração de novos pratos. Na Amazônia já foram identificadas 34 espécies de cogumelos comestíveis, algumas muito consumidas por grupos indígenas, como Uaupé e os Yanomami.

 

Para desenvolver o potencial do Lentinula raphanica, cogumelo de ocorrência natural na Amazônia, Ishikawa vem trabalhando na cadeia produtiva desse cogumelo utilizando substratos regionais, como toras de madeira e blocos à base de formulações de resíduos agroindustriais. O objetivo da pesquisadora é poder colaborar com a geração de uma nova fonte de renda e emprego na região, aproveitando a biodiversidade da Amazônia.

 

Para se ter ideia, na Colômbia, os Uitoto e Andoke associam o cogumelo Lentinula raphanica com uma espécie de sardinha de pequenos igarapés, que são considerados alimentos muito sadios utilizados na dieta das crianças, mulheres grávidas e doentes.

 

Outra importante frente de atuação de Ishikawa e de seu grupo de pesquisa é com a identificação de cogumelos da Amazônia e a triagem de espécies comestíveis e produtoras de compostos microbianos que possam ser utilizados na indústria farmacêutica e de medicamentos. A finalidade do trabalho é aumentar o conhecimento sobre espécies de fungos de ocorrência na região e contribuir com a possibilidade de geração de produtos da biodiversidade amazônica.

 

Grau de Comendador

 

Ordemdomeritonoemia

 

Destinado a Secretários do Governo dos Estados da União e Distrito Federal, Conselheiros de Embaixada ou Legação estrangeira, Cônsules Gerais de carreira estrangeira, Contra Almirantes, Generais de Brigada, Brigadeiros-do-Ar, Juízes de Segunda Instância, Professores Catedráticos ou Titulares, Cientistas, Presidentes de Associações Literárias, Científicas, Culturais, de Classe e funcionários de igual categoria do Serviço Público Federal, Estadual ou Municipal e outras personalidades de hierarquia equivalente.

registrado em:
Fim do conteúdo da página