Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Notícias

Novo prédio da Coordenação de Capacitação alia funcionalidade e praticidade aos serviços

  • Última atualização em Quinta, 10 de Maio de 2018, 09h47
  • Acessos: 626

No prédio de 969 m2 que tem três pavimentos foram investidos R$ 2,1 milhões de recursos provenientes do Projeto Grandes Vultos

 

Por Cimone Barros (texto e fotos)– Ascom Inpa

 

Na presença de servidores da casa e de gestores do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) inaugurou nesta quarta-feira (09) o novo prédio da Coordenação de Capacitação (Cocap). A solenidade foi marcada pela homenagem à coordenadora de Capacitação Beatriz Ronchi Teles, que há anos está à frente do cargo.

 

Localizado no campus I do Inpa, o prédio atenderá a demanda de espaço físico da Coordenação de Capacitação, integrando em um mesmo local, os diferentes setores, além de sala de aula do Programa de Pós-Graduação em Clima e Ambiente (Clima).  A Cocap é formada pela Divisão de Apoio Técnico (Didat) e pela Coordenação de Pós-Graduação (Copog).

 

No prédio de 969 m2 que tem três pavimentos foram investidos R$ 2,1 milhões de recursos provenientes do Projeto Grandes Vultos, do Ministério do Planejamento. Iniciada em 2012, a obra passou por vários problemas e foi executada em duas etapas.

 

InauguracaoCapacitacao1FotoCimone BarrosINPA

 

“Depois de vários anos com uma obra inconclusa, conseguimos concluí-la da melhor forma possível. Ficou um prédio bonito, agradável, funcional e que atenderá as demandas da Capacitação e do Cliamb”, disse o diretor do Inpa Luiz Renato de França.

 

Em um breve balanço sobre obras na sua gestão, França disse que quando se vislumbra uma gestão não se pode avaliar em meses, mas num tempo muito maior, já que se têm obras iniciadas na gestão anterior, na atual e outras que iniciam agora e serão inauguradas pelo novo gestor. França encerra seu mandato de quatro anos em meados de julho próximo.

 

“O que interesse para o Inpa é que a sua infraestrutura seja adequada para o seu funcionamento. Agora estamos construindo com recursos do projeto Grandes Vultos o novo prédio das Coleções Zoológicas e está para licitação a construção do restaurante que será o térreo do Centro de Convivência do Inpa”, revelou o diretor.

 

Além de servidores e coordenadores, participaram da cerimônia o diretor de Gestão das Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais do MCTIC, Gustavo Frayha, e a chefe da Divisão de Cooperação com a América do Norte, Ásia, África e Oceania ligada à Assessoria de Internacional do MCTIC, Nanahira de Rabelo.  Eles vieram a Manaus para participar da reunião do Comitê Científico de Avaliação do Museu na Floresta, projeto do Inpa em parceria com a Universidade de Quioto, com o financiamento da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), que na última terça-feira inaugurou a Base Alto Cuieiras.

 

InauguracaoprediocapacitacaoFotoCimoneBarrosINPA

 

“Precisamos estar unidos para conseguir recursos significativos para a ciência e tecnologia, uma área considerada prioridade de Estado conforme a Constituição, porque é isso que fará com que o Brasil se integre de fato ao elenco das nações de Primeiro Mundo”, destacou Frayha.

 

Para superar as dificuldades advindas da crise, criatividade e otimismo são fundamentais para quem está na gestão, segundo a coordenadora de Ações Estratégicas do Inpa, Hillândia Brandão. “Temos que ter muita criatividade para executar os recursos de forma eficiente. E chegarmos à inauguração desse prédio é o sentimento de dever cumprido”, disse Brandão, que também é diretora substituta.

 

No térreo do prédio encontra-se a Didat, além de uma sala de aula com capacidade para 42 pessoas, no primeiro andar estão a Cocap e a Copog que contarão uma sala de reunião para dez pessoas, enquanto no segundo andar fica a sala de aula do Cliamb.

 

Reconhecimento

 

Inauguração portal 2

 

Homenageada pelo diretor do Inpa pelo empenho na conclusão do prédio e entusiasmo com que executa suas funções, Beatriz Teles acredita que além da integração dos setores e projetos da Cocap, o prédio trará vantagens para os públicos atendidos pela Coordenação. Luiz Renato presenteou Teles com um buquê de rosas.

Atualmente o Instituto possui cerca de 1000 alunos “flutuando” pela Instituição, entre bolsistas (de iniciação científica ao pós-doutorado), estudantes de pós-graduação (mestrado e doutorado) e alunos de universidades que fazem estágio curricular na Inpa, todos eles atendidos pela Cocap.

“O prédio vai melhorar nossa integração enquanto coordenação, mas também será muito bom para a pós-graduação, para os alunos e bolsistas que terão acesso mais fácil aos nossos serviços”, comemora Teles que ficou emocionada com a homenagem.

Ter um espaço exclusivo para o Cliamb também é motivo de comemoração para o coordenador do programa, o pesquisador Luiz Cândido. Realizado em associação com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), o Cliamb compartilhava a infraestrutura do Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera da Amazônia (LBA), no Campus 2 do Inpa.

“Agora teremos toda a comunidade reunida e a infraestrutura necessária para pesquisa e desenvolvimento dos trabalhos do programa”, ressaltou Cândido.

 

Recomposição de Orçamento

 

De acordo com o diretor de Gestão das Unidades de Pesquisas e Organizações Sociais do MCTIC, Gustavo Frayha, o momento ainda é dificuldade no governo, em função da queda de arrecadação, mas já “está bem encaminhada” a recomposição do orçamento empenhado de 2017 do Inpa e das outras unidades de pesquisa do MCTIC, o que “garantirá a sobrevivência” de todos os institutos.

 

A expectativa é que o assunto esteja definido nas próximas semanas. A próxima etapa da DPO/MCTIC é continuar com os esforços para recompor o orçamento original de 2017 das unidades.

 

“De todo modo, apesar de ter tido contingenciamento do orçamento do Ministério, as nossas unidades de pesquisas não tiveram contingenciamento. Nós remanejamos internamente para os institutos poderem ter funcionamento normal durante todo o primeiro semestre e começo do segundo”, contou Frayha.

 

Concurso Público

 

Com relação a concurso público, a expectativa de Frayha é que ainda nesta gestão o Governo Federal consiga abrir concursos para que seja feita a renovação dos quadros de pessoal dos Institutos. Segundo o diretor da DPO, em 2017 foram feitos uma Nota Técnica e um Aviso Ministerial ao Planejamento e agora está acontecendo um desdobramento que é um preenchimento de vagas com justificativas.

 

“As unidades estão preenchendo e nós vamos encaminhar de novo. Mas não temos prazo de quando haverá concurso, porque não depende de nós, é geral para o Governo”, adiantou Frayha.

registrado em:
Fim do conteúdo da página