Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Notícias

Inpa e Fipecq Vida inauguram ambulatório do programa de medicina preventiva Meu Médico

  • Última atualização em Quarta, 04 de Julho de 2018, 15h14
  • Acessos: 755

Inauguração Meu Médico Foto Cimone Barros INPA 3 Cópia

 

O atendimento será as quartas e sextas-feiras, das 14h às 18h. O médico será o clínico geral Edivaldo Silva, com 35 anos de experiência

 

Cimone Barros (texto e fotos)– Ascom Inpa

 

Mais de cinco anos depois de “perder o setor médico”, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) volta a ter um espaço de medicina preventiva e de atenção ao bem-estar do servidor. Agora, a figura do médico da família retorna para a instituição por meio de uma parceria do Inpa com a Fipecq Vida.

 

A inauguração do Ambulatório do Programa Meu Médico aconteceu nesta quarta-feira (04). Após reforma da Casa 19, próxima à cantina no Campus I do Inpa, o programa funcionará no mesmo local de antes. O Inpa possui cerca de 560 servidores e boa parte tem mais de 50 anos de idade.

 

Casa 19 Meu Médico Cópia

 

O Inpa é a terceira unidade da federação a ter a receber o programa da Fipecq, depois do Distrito Federal e Rio de Janeiro. “Isso é um grande avanço para qualidade de vida do servidores do Instituto, tanto em termos de saúde quanto de estrutura logística”, destacou o diretor do Inpa Luiz Renato de França.

 

A proposta do Meu Médico é promover mais saúde e bem-estar aos servidores e associados da Fipecq no ambiente de trabalho. No Ambulatório o atendimento do clínico geral deve ser diferenciado, voltado para uma relação mais próxima, humanizada e de confiança do paciente com o médico, profissional que deve ter uma visão geral do paciente “e não em padacinhos”.

 

“Este programa é a menina dos meus olhos. Estamos em busca de uma medicina mais preventiva e vamos procurar acolher vocês de forma mais humanizada”, ressaltou o presidente da Fipecq Vida Antônio Rito, que prometeu para a próxima semana um desfibrilador, um aparelho gerador de energia elétrica de tensão regulável capaz de estimular o coração com dificuldades de contração.

 

Inauguração Meu Médico Foto Cimone Barros INPA 5 Cópia

 

No Inpa a equipe será formada pelo médico Edivaldo Silva, que tem 35 anos de experiência, e a secretária Sílvia Bravo. As consultas e orientações serão realizadas todas as quartas e sextas-feiras, das 14h às 18h, mediante agendamento prévio no local ou pelo telefone 92 3643-3750. Os atendimentos já começam nesta quarta-feira (04).

 

“Vamos tentar colocar em prática aquele médico da família que você conversa com o paciente, orienta e vê o paciente como um todo”, revela Edivaldo Silva.

 

O médico do programa é clínico geral, mas o atendimento não se encerará nele. Quando necessário, o Meu médico encaminha ao especialista, como cardiologista, endocrinologista e neurologistas, mas isso não acaba a participação dele.

 

Inauguração Meu Médico Foto Cimone Barros INPA 1

 

“O paciente vai ao cardiologista, por exemplo, retorna com orientações e passa as orientações também pro Médico e divide as dúvidas e orientações do cardiovascular com o Meu Médico, que tem a visão do paciente como um todo e não só um pedacinho”, disse o responsável pelo programa nacional da Fipecq Vida Meu Médico, Cristofer Martins.

 

Para a Coordenadora de Gestão de Pessoas do Inpa, Caroline Silva, com a implantação do Meu Médico no Inpa haverá um resgate do sentimento de que a instituição dá atenção à saúde e bem-estar do servidor. “O sentimento que o servidor tinha de que o Inpa olhava para ele com carinho e atenção, que se importava com saúde dele vai retornar”, destaca Silva, em referência ao antigo setor médico, extinto por ordem do governo Federal em 2012.

 

A pesquisadora Maricleide Naiff diz estar vivendo um sonho. “Fico muito feliz de ver isso funcionar novamente. Quando recebemos a ordem do Ministério para fechar o setor médico foi uma tristeza muito grande, porque tínhamos aqui o atendimento básico, primário para a população do Inpa”, revelou Naiff, que como o apóstolo Tomé “queria ver para crer”.

 

Na época, o setor médico contava com uma clínica geral, um cardiologista, um odontólogo, uma enfermeira e uma assistente social.

 

Maricleide Naiff Foto Cimone Barros INPA

registrado em:
Fim do conteúdo da página