Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Notícias

Livros de Rosa Alves destacam trajetória e técnicas de ilustração científica no Brasil

  • Última atualização em Quarta, 11 de Julho de 2018, 13h50
  • Acessos: 561

Lançadas na Casa da Ciência do Inpa, as obras escritas em português e espanhol são materiais didáticos que pretendem auxiliar na formação de novos ilustradores

Por Cimone Barros (texto e fotos) – Ascom Inpa

Com mais de 40 anos de experiência com desenho, a mineira Rosa Alves, 57, lançou os livros bilíngues Ilustração Botânica e Ilustração Zoológica, na terça-feira (10), no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC). Usada para realçar detalhes de espécies, evitar ruídos de comunicação e sintetizar informações, a ilustração científica no Brasil é vista como uma profissão nova, e na Amazônia um campo fértil pela enorme biodiversidade a ser ilustrada.

Rosa Alves faz desenhos profissionais desde os 15 anos e de 1982 a 2015 atuou na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde nos últimos anos é professora no curso de extensão de Ilustração Científica Biológica. Nesse período, a ilustradora viu as coleções da universidade crescer, o Herbário passou de 50 mil espécimes para mais de 200 mil e entendeu a importância de ter as coleções e de ilustrar ao vivo os espécimes vivos.

 

Lancamento de livros Rosa Alves Foto Cimone Barros 8

 

“Esses dois livros reúnem as informações dos cursos que ministrei, das coletas do meu mestrado em Portugal, além da colaboração de vários ex-professores, ex-alunos e profissionais de várias partes do mundo que falam português e espanhol”, conta Alves, que é licenciada em Artes Visuais, mestre em Ilustração Científica e autora dos primeiros cadernos de ilustração científica em língua portuguesa.

A obra Ilustração botânica/ Ilustración botânica traz uma pesquisa inédita sobre a história e os pioneiros da ilustração botânica na Europa e, principalmente, na América Latina, vizinhos que dividem angústias de países colonizados, explorados, e que não tinham ilustradores na região. O livro traz ainda oito técnicas para elaboração de desenhos no local de pesquisa/coleta (in situ) e em herbários. São elas: grafite, nanquim, caneta esferográfica, cores, lápis de cores, guache, aquarela e ilustração digital.

“Esse esforço formativo de ter ilustradores é recente, do século passado para este. Temos muita coisa para se fazer em termos de natureza, o Brasil é campeão da biodiversidade. E os países vizinhos também são carentes da material didático sobre isso, agora que estão começando a formar seus próprios ilustradores também”, contou Alves.

Lançado há um ano no mercado, Ilustração Zoológica traz mais de uma centena de ilustrações e textos sobre a história da ilustração zoológica na Europa e no Brasil, com desenhos de vertebrados e invertebrados de Rosa Alves e convidados.

 

LancamentodelivrosRosaAlvesFotoCimoneBarros

 

Os materiais didáticos buscam auxiliar na formação de novos ilustradores. O novo objetivo da ilustradora é que os capítulos dos livros, que são introdutórios, sejam transformados em obras aprofundadas. Os livros podem ser adquiridos com a própria autora pelo e-mail: rosalvesp@gmail.com.

Na última semana (1º a 08 de julho), Rosa Alves ministrou na Base Alto Cuieiras do Inpa (a três horas de lancha rápida de Manaus) o I Curso de Ilustração Científica – Desenhando plantas e bichos da floresta. O curso ocorreu paralelo ao de História Natural, ministrado por vários pesquisadores do Inpa e de outras instituições, que segue até o dia 14.

Cerca de 50 alunos participaram dos cursos, entre comunitários locais e pessoas vindas de várias partes do Amazonas e de outros estados. Para a Coordenadora de Extensão do Inpa, a pesquisadora Rita Mesquita, ter um curso de ilustração científica dá a oportunidade de fazer uma ponte com outro mundo, já que arte e ciência andam juntas há muito tempo.

“As primeiras expedições científicas mundo afora beberam muito dessa fonte e dessa conexão. Então, é muito importante que na Amazônia, um lugar do mundo onde a natureza ainda tem tanto a se descobrir, esse trabalho continua tão importante e relevante quanto era na metade do século 18”, destaca Mesquita.

 

Lancamento de livros Rosa Alves Foto Cimone Barros 9

registrado em:
Fim do conteúdo da página