Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Notícias

Direção do Inpa visita Fapeam para estreitar diálogos e parcerias institucionais

  • Última atualização em Quinta, 14 de Fevereiro de 2019, 13h11
  • Acessos: 1180

VisitaaFAPEAMFotoCimoneBarrosINPA2

 

Referência nos estudos da biodiversidade e dos ecossistemas amazônicos, o Inpa está com nova gestão e fazendo reuniões com vários órgãos e instituições. Conforme a diretora Antonia Franco, a direção do Inpa está trabalhando na reorganização e algumas mudanças estão em curso

 

Da Redação – Inpa

Fotos: Cimone Barros

 

Nesta quarta-feira (13), a direção do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) visitou a nova gestão da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), na sede da agência de fomento. Desde que assumiu o Inpa, no início de dezembro, a diretora Antonia Franco realiza reuniões com outras organizações para estreitar a interlocução e reforçar parcerias e colaborações.

“A Fapeam na região e no Amazonas é primordial, porque ela é esperança e incentivo aos alunos da iniciação científica ao pós-doutorado, no apoio ao desenvolvimento das pesquisas científicas com o auxílio financeiro e na participação de estudantes e pesquisadores em congressos”, disse Franco, que na semana passada participou de uma reunião com o Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, em Brasília.

Na Fapeam, Franco e coordenadores do Inpa apresentaram demandas da instituição, como apoio a bolsas, retorno do PIBIC Junior, além de apoio direto para projetos de infraestrutura e científicos. Atualmente, o Inpa possui 568 servidores, dos quais 40% estão em abono permanência, o que significa que possuem as condições legais para aposentadoria. Do total de servidores, 152 deles são pesquisadores, dos quais dez são pesquisadores 1A do CNPq, nível de excelência.

 

VisitaaFAPEAMFotoCimoneBarrosINPA1

 

“Este ano, a previsão de orçamento é de R$ 35 milhões, valor basicamente gasto em despesas de manutenção como luz, água, segurança, mas por meio das agencias e das fontes externas, nossos pesquisadores conseguem captar quatro vezes mais esse valor”, destacou a coordenadora de Ações Estratégicas do Inpa, Hillandia Brandão.

De acordo com a diretora-presidente da Fapeam, Márcia Perales, a Fapeam tem como missão fomentar ações voltadas para a pesquisa e difusão do conhecimento, e essas ações precisam estar em consonância com as necessidades das instituições de ensino e pesquisa do Amazonas.

“Ouvir as demandas do Inpa e relacioná-las com as de outras instituições que estamos ouvindo nos dá condições de avaliar as convergências e pensar em estratégias para atendê-las”, disse Perales, destacando que o diálogo precisa ser permanente. “Ele [diálogo] é fundamental para o Inpa crescer, ter apoio, e para a Fapeam realmente fazer jus à sua missão”, completou.

Fundada há 16 anos, a Fapeam deve ter um orçamento de cerca de R$ 130 milhões em 2019, mas 20% estão contingenciados em função de déficits encontrados pelo governo do Estado, segundo Perales. “Estamos fazendo um trabalho político para aumentar nossa capacidade de execução”, contou a diretora-presidente.

Participaram ainda da reunião, além dos já citados, por parte do Inpa, os coordenadores de Pesquisa, Paulo Maurício Alencastro, e de Capacitação, Beatriz Ronchi, e por parte da Fapeam, a diretora técnico-científica, Marne Vasconcellos.

Brasília

 

ReuniaocomMinistroMarcosPontes

 

Em uma reunião exclusiva de uma hora e meia com o Ministro do MCTIC, Marcos Pontes, o Inpa também apresentou sua demandas, como recursos financeiros e humanos, e suas atividades científicas e tecnológicas que contribuem para a conservação da Amazônia e a qualidade de vida da população. A diretora Antonia Franco e a coordenadora da COAE, Hillandia Brandão, participaram da reunião.

Segundo Franco, o Ministério está estudando a possibilidade de reposição das vagas, para dar continuidade às pesquisas, já que há um déficit de servidores e muitos estão em vias de aposentadoria.

“A possibilidade de uma maior interlocução entre as UPs (Unidades de Pesquisa) e as Os (Organizações Sociais), assim como a comunicação direta com o Ministério é extremamente importante para o momento atual do País, mobilizando os gestores a uma maior proximidade e auxílio, pois em sua maioria os problemas são comuns”, diz Franco.

Conforme Franco, a direção do Inpa está trabalhando na reorganização e algumas mudanças estão em curso. “Tão logo as modificações sejam efetivadas, serão repassadas à comunidade do Inpa”, assegurou. “Estamos trabalhando em um novo organograma e na possibilidade de planejamento estratégico do Inpa para o segundo semestre”, adiantou a diretora, lembrando que o seu Plano de Gestão e Visão de Futuro para o Inpa apresentado no processo de escolha do novo dirigente encontra-se disponível na página eletrônica da instituição. Clique na aba Quem é Quem do menu Institucional e depois em Diretora do Inpa.

registrado em:
Fim do conteúdo da página
Experimente o novo WEBMAIL do INPA.