Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Notícias

Grupo de Estudos Estratégicos Amazônicos disponibiliza novo tomo de Caderno de Debates

  • Última atualização em Segunda, 24 de Junho de 2019, 16h33
  • Acessos: 457

Tomo XIV fala sobre Domesticação da floresta & subdesenvolvimento da Amazônia e da Ética & ciência: papel social do cientista

Da Redação – Geea

Banner: Rodrigo Verçosa – Editora Inpa

O Grupo de Estudos Estratégicos Amazônicos (Geea) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) lança o Tomo XIV do Caderno de Debates. Nele são tratados temas altamente significativos para a Amazônia e que atuam de maneira conjunta, parecendo haver entre eles depen­dências mútuas: floresta, domesticação, subdesenvolvimento, Ciência & Ética. Os temas foram tratados por especialistas gabaritados e ver­dadeiramente interessados em entender a Amazônia, essa região tão grandiosa, complexa e de vital importância para o Brasil e o mundo.

No primeiro capítulo é feita uma panorâmica histórica da presença do homem na América do Sul e mais precisamente na Amazônia, tendo como foco sua interação com a floresta e a domesticação de plantas úteis para seu sustento. Nele são analisados alguns dados da Arqueo­logia e da Paleobotânica e feitos alguns comentários sobre os fitólitos, atualmente muito em voga nos estudos antropológicos e na busca de entendimento sobre as mudanças na vegetação e no clima regional.

 

BannerGEEAXIV

 

 

Ao lado do passado indígena em que houve forte domesticação da floresta, também são tecidas considerações sobre o período colonial, no qual se tentou importar e impor modelos de desenvolvimento de outras re­giões, sem levar em consideração a verdadeira vocação da Amazônia e os legítimos interesses de seu povo. Isso tem imprimido à região um permanente estado de subdesenvolvimento e que precisa ser revertido o quanto antes, tendo como base o desenvolvimento da Ciência, da Educação e de Políticas Públicas.

No segundo capítulo é traçado um paralelo entre a natureza da Ética e da Ciência e da relação histórica, desejável e mesmo necessário entre uma e outra. Invoca alguns mitos para evidenciar a força dos impera­tivos, interdições e afirmações sociais e para os quais não pode haver segredos. É evidenciada a importância da transparência, revelação e consenso para a harmonia na convivência coletiva e, por extensão, o interesse coletivo antes e acima dos interesses individuais. Também é invocada a metáfora da luz como signo da verdade e do conhecimento que deve nortear todas as ações humanas.

De modo mais particulari­zado, são tratadas algumas questões éticas típicas da Ciência, como a aplicação prática do conhecimento, o direcionamento da pesquisa, a formulação e avaliação de teorias científicas. Por fim, é questionado o papel do cientista nesse contexto, cabendo a ele a missão de ser luz num mundo em constante transformação e sempre inclinado ao fana­tismo e ao domínio.

“O Grupo de Estudos Estratégicos Amazônicos se sente sa­tisfeito e honrado em propiciar essa oportunidade de conhecimento e reflexão e poder compartilhar com um público maior, através da leitura desse Caderno de Debates que foi elaborado com o cuidado e carinho que os leitores merecem”, disse o pesquisador e secretário-executivo do Geea, Geraldo Mendes. “Esperamos que ele seja lido com o mesmo sentimento e que o compartilhamento das ideias seja um passo im­portante para potencializar e acelerar o tão sonhado desenvolvimento sustentável da região”, completou.

Além de Mendes, assinam o Tomo XIV do Geea os pesquisadores do Inpa Charles Clement e Fernando Hélio Alencar e o diretor-presidente do Museu da Amazônia (Musa) Ennio Candotti.

 Tomo XIV do Caderno de Debates

registrado em:
Fim do conteúdo da página