Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Notícias

Inpa sedia IV Workshop Annual do Climate Science for Services Partnership (CSSP) Brazil

  • Última atualização em Terça, 30 de Julho de 2019, 17h29
  • Acessos: 580

CSSP2019 CimoneBarrosInpa 14

Parceria é formada por cientistas do Inpa, Inpe, Cemaden e um consórcio de universidades e instituições britânicas lideradas pelo Met Office

 

Da Redação – Inpa

 

Pesquisadores do Brasil e Reino Unido reuniram-se no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) para discutir os efeitos da mudança climática e a mitigação de desastres naturais, com foco nos modelos climáticos para o ecossistema do bioma amazônico e outras regiões no Brasil. Este é IV Workshop no âmbito do Climate Science for Service Partnership (CSSP) – Brazil e a proposta do Instituto é que o programa AmazonFace possa ser inserido na plataforma do programa CSSP.

 

Lançado em 2016, no Inpa, o CSSP busca entender melhor as interações entre a Amazônia e o clima global. O programa é formado pela parceria do Inpa, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemadem), pelo lado brasileiro, com um consórcio de diversas instituições e universidades britânicas liderado pelo Serviço Nacional de Meteorologia do Reino Unido (Met Office), e financiado pelo Fundo Newton.

 

Durante o encontro foram apresentados resultados das pesquisas realizadas pelos parceiros e discutidas formas de aprimorar as colaborações. Entre eles estavam Jochen Schongart do Inpa, Cindy Parker do Reino Unido, Gilvan Sampaio do Inpe e Stephen Belcher do Met Office.

 

CSSP2019CimoneBarrosInpa20

 

Para a diretora do Inpa, Antonia Franco, o encontro foi produtivo. “O tema de estudo é de grande importância para todos os países e a continuidade dessa colaboração só possibilita o maior conhecimento e demandas a serem estudadas e propostas a serem sugeridas pelo lado Brasileiro, fortalecendo assim um maior envolvimento das Instituições parceiras”, destacou a diretora.

 

O Workshop Anual da CSSP aconteceu de 03 a 05 de julho, no Auditório da Ciência do Inpa, em Manaus-AM. O programa deve encerrar em 2021. “O intercâmbio científico é um dos grandes benefícios do CSSP e acredito que podemos ampliar, se tivermos mais apoio das agências financeiras”, disse o coordenador de pesquisas do Inpa João Vicente de Souza.

 

 CSSP2019WericalimaInpa49

AmazonFace

 

O AmazonFace é um programa científico que busca resolução de uma das principais fontes de incerteza em relação ao impacto das mudanças climáticas sobre ecossistemas tropicais: o potencial que o aumento das concentrações atmosféricas de CO2 poderia ter para mitigar os efeitos deletérios das mudanças climáticas nas florestas tropicais, estimulando a produtividade e aumentando a resiliência dessas florestas à seca.

 

O Experimento de Pesquisa do programa está localizado na Estação Experimental de Silvicultura Tropical ZF-2 do Inpa, a 50 km norte de Manaus, BR-174 (Manaus/AM-Boa Vista/RR).

 

Segundo o gerente científico do Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera da Amazônia (LBA), a reunião trouxe para um consenso que as incertezas dos modelos climáticos ainda são grandes para o ecossistema que convivemos, o bioma Amazônia. “Vários colegas nacionais e a parceria da CSSP Brazil tiveram essa sensibilidade de compreender que a ciência que o AmazonFace pretende entregar é extremamente necessária para reduzir as incertezas dos modelos de predição do futuro climático da Terra”, disse Carioca.

 

Para o pesquisador do Inpa, Jochen Schongart, que desenvolve projeto dentro do CSSP, outros aspectos interessantes da parceria são treinamentos e capacitações de jovens pesquisadores, além de motivar estudantes de pós-graduação a usarem banco de dados que projetos como o LBA e AmazonFace possuem. “Queremos que esses programas que são do governo ganhem mais apoio, mais reforço e com isso se criem plataformas para capacitar os jovens pesquisadores em nível de pós-graduação e pós-doutorado”, disse o pesquisador.

registrado em:
Fim do conteúdo da página