Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial > Núcleos e Escritórios Regionais > Núcleo de Apoio à Pesquisa em Rondônia - NAPRO
Início do conteúdo da página

Núcleo de Apoio à Pesquisa em Rondônia - NAPRO

Última atualização em Quinta, 11 de Agosto de 2016, 15h23 | Acessos: 2406

 

 
Placa de Inauguração da Sede do NAPRO
1. Histórico

O Núcleo Regional de Apoio à Pesquisas em Rondônia (NAPRO) foi criado, oficialmente, em 1990, pelo então diretor do INPA Dr. Enéas Salati, com a finalidade de atender às demandas em C&T voltadas para as questões ambientais no Estado de Rondônia. Na época essas demandas se justificavam, sobretudo, pela acelerada expansão da fronteira agrícola em face da intensa frente migratória ocasionada pela colonização iniciada em meados dos anos 70 através de assentamentos agrícolas incentivados pelo Governo Federal.

Embora a criação oficial do NAPRO tenha ocorrido somente em 1990, o início das atividades do INPA no Estado de Rondônia data do começo da década de 80, quando da implantação do Projeto PoloNoroeste que visava dar suporte técnico e científico aos projetos de assentamento nas campanhas de colonização do estado. Naquela ocasião o INPA firmou convênio com o governo de Rondônia, envolvendo várias Secretarias de Estado (Agricultura, Planejamento, Ciência e Tecnologia) e com a Prefeitura do município de Outro Preto D’Oeste no intuito de consolidar parcerias com as instituições locais e otimizar as ações e resultados das pesquisas.

Nessa época, foi marcante a presença da Coordenação de Pesquisas em Ciências Agronômicas (CPCA) que desenvolveu experimentos no âmbito do Projeto “Estudos Integrados de Agroecologia ao nível de pequenos produtores rurais”. Este projeto permitiu ao INPA, estender para Rondônia, parte importante de suas pesquisas como a introdução e avaliação de espécies frutíferas regionais com potencial para a agroindústria, como pupunha, araçá-boi, camu-camu, cupuaçu, açaí, entre outras, ampliando assim o leque de alternativas de cultivo para o desenvolvimento da fruticultura regional, sobretudo em áreas de pequenos agricultores e assentamentos dirigidos.

Durante esse período, diversos trabalhos foram desenvolvidos por outras Coordenações de pesquisas do INPA (Ecologia, Entomologia, Botânica, Aqüicultura), os quais contribuíram significativamente para o conhecimento científico em diferentes áreas de pesquisa em Rondônia, sobretudo no que se relaciona ao estudo do impacto ambiental causado pelo acelerado processo de colonização, onde as pesquisas lideradas pelo pesquisador da Coordenação de Pesquisas em Ecologia (CPEC), Philip Feanrside, resultaram em relevantes informações sobre o uso da terra para exploração agropecuária em Rondônia.

 
Vista lateral da Sede do NAPRO

Ainda nesse período, o INPA recebeu, como doação do Município de Ouro Preto do Oeste, uma área destinada a reserva biológica medindo 138 ha, localizada no perímetro urbano do Município, onde foram desenvolvidas algumas pesquisas pelas coordenações de Ecologia e Botânica

A gestão e manutenção dessa Reserva passaram ser feitas pelo INPA por intermédio da CEPEC, que mantém um servidor baseado em Ouro Preto do Oeste, na função de guarda-parque.

Desativação do NAPRO - 1994

A partir de 1994, já na gestão do Dr. José Seixas Lourenço, o Núcleo de Rondônia, assim como os outros núcleos regionais, foi desativado, ocasião que em foram suspensos o apoio institucional e financeiro, ficando os servidores lotados nas respectivas coordenações de pesquisas do INPA, porém domiciliados nos locais de existência das bases desativadas.

Embora com a base desestruturada, os servidores lotados no extinto Núcleo de Rondônia, com apoio da Coordenação de Pesquisas em Ciências Agronômicas, desenvolveram relevantes trabalhos como foi o caso da implementação do projeto denominado “Desenvolvimento de Sistemas Agroflorestais para a Amazônia” – Segmento Rondônia, no âmbito do PPG-7, cujos resultados serviram de base para elaboração da tese de doutorado do pesquisador José Maria Thomaz Menezes.

Outro importante trabalho, em parceria com a Universidade Federal de Rondônia, foi a implementação do projeto Bio-óleos, com financiamento do CNPq, que tem como objetivo o levantamento e avaliação de espécies oleaginosas ocorrentes na Amazônia, com potencial para produção de óleo vegetal para usos diversos inclusive biodiesel.

Reativação do NAPRO - 2005

A recriação formal dos Núcleos, e sua inserção no organograma administrativo do INPA já é uma decisão da atual direção do INPA, mas sua adequação e política de capilaridade ainda estão passando por estudos mais aprofundados, pois dependem da futura reorganização geral do Instituto.

Como parte dos esforços empreendidos pelo MCT/INPA, para reativação e fortalecimento dos Núcleos Regionais citamos a realização das Oficinas para levantamento das principais Demandas em CT&I nos estados de Rondônia, Acre e Roraima. Concomitantemente, o evento visava discutir, internamente, as necessidades e dificuldades dos Núcleos no intuito de delinear ações para torná-los aptos a participarem do enfrentamento das demandas identificadas em cooperação com as instituições locais.

Em Rondônia, o evento foi realizado em setembro de 2008 e teve forte repercussão entre as instituições afetas. Por outro lado, a perspectiva de fortalecimento da presença do INPA como parceiro nas ações e projetos de desenvolvimento científico e tecnológico em Rondônia, gerou grande expectativa por parte das instituições locais de ensino, pesquisa e desenvolvimento, elevando ainda mais o compromisso do INPA enquanto Instituto de Pesquisas da Amazônia.

Encontram-se em fase de planejamento, ações interinstitucionais para a preservação e uso sustentável da Reserva Biológica do INPA em Ouro Preto do Oeste, através de acordo de cooperação a ser firmado com a Prefeitura Municipal daquele município. Essas ações serão planejadas e executadas com o envolvimento dos setores de Extensão, Capacitação, Educação ambiental botânica e Ecologia do INPA.

Em 2012, na gestão do Dr. Adalberto Val, houve a inauguração da Sede do Núcleo, com área de 100 m2, localizada no campus da Universidade Federal de Rondônia.

2. Missão do Núcleo
  • Representar o INPA em suas ações institucionais perante os órgãos locais;
  • Representar o INPA em comissões, comitês e conselhos locais;
  • Zelar pelo patrimônio do INPA no Núcleo;
  • Identificar as demandas em C&T locais, sugerindo as linhas de pesquisa e extensão mais adequadas a cada localidade;
  • Implementar parcerias e desenvolver ações em conjunto com os órgãos de ensino, pesquisa e extensão regionais;
  • Atuar no processo de capacitação local (graduação, pós-graduação e cursos de extensão);
  • Gerenciar projetos de pesquisa de âmbito local ou aqueles realizados em parceria com as Coordenações da sede em Manaus;

 

Convênios

Parcerias estabelecidas foram estimuladas pela perspectiva de fortalecimento do NAPRO, no bojo da Oficina de Demandas em CT&I, e geraram interesse em convênios com instituições interessadas em manter cooperação técnico-cientifica com o INPA, onde as ações referentes a cada convênio poderão ser viabilizadas através da elaboração de termos-aditivos. O que significa que as partes terão que delinear, conjuntamente, as ações da área de interesse de cada instituição. Apresentamos a seguir as instituições parceiras e respectivas áreas de interesse:

Instituições ParceirasÁrea de interesse
UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR Cooperação em pesquisa e capacitação em níveis de Graduação e Pós-graduação
FACULDADE SÃO LUCAS DE PORTO VELHO Cooperação em pesquisa e capacitação em níveis de Graduação e Pós-graduação
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA - IFRO Cooperação em pesquisa e capacitação em níveis de Graduação e Pós-graduação
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA - UNIRON Pesquisa e concessão de estágios em Ciências Biológicas
PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPUÃ DO OESTE Pesquisa/extensão em Agroecologia e recuperação de áreas degradadas
CENTRO DE ESTUDOS DA CULTURA E DO MEIO AMBIENTE DA AMAZÔNIA – RIOTERRA Cooperação em pesquisa em Sistemas agroflorestais (SAFs) e meio ambiente para o desenvolvimento sustentável da região
 
 
Ações/Projetos em Andamento

Atualmente o NAPRO tem atuado basicamente em atividades vinculadas a três projetos em parceria com instituições locais com apoio da sede em Manaus.

1 - Aproveitamento e valorização da biodiversidade na produção de bio-óleos em Rondônia.

Os objetivos desse projeto são: identificar e avaliar espécies oleaginosas da região com potencial para produção de óleo vegetal em áreas de assentamentos, reservas legais e ribeirinhas do Estado de Rondônia; Inventariar as espécies nativas em ambiente natural com potencial extrativista para obtenção de óleo; Selecionar entre essas espécies, aquelas promissoras para adaptação e cultivo em sistemas agroflorestais na região, com vistas a estimular a geração de emprego e renda para pequenos produtores; Detectar e sistematizar as experiências empíricas das populações tradicionais e de agricultura familiar na obtenção de óleo vegetal; Selecionar, entre as espécies de leguminosas usadas em manejo e conservação do solo, aquelas com potencial para produção de óleo; Gerar e disseminar conhecimentos agronômicos sobre a produção de matéria prima para obtenção de óleo partir de espécies vegetais regionais.

2 - Desenvolvimento e Avaliação Participativa de Sistemas Agroflorestais para a Amazônia.

O projeto busca desenvolver propostas agroflorestais baseadas em experiências com plantios piloto implementados e avaliados em colaboração entre pesquisadores e agricultores, estimulando o uso de sistemas agroflorestais e visando atender às demandas tecnológicas da agricultura familiar. Este trabalho se propõe também a realizar pesquisas de maneira participativa, tendo como parceiros agricultores familiares e populações tradicionais de forma a gerar conhecimento científico e tecnológico sobre o plantio e manejo sustentável de espécies amazônicas de uso múltiplo. O projeto contempla a criação de estrutura laboratorial e logística para estudos de propagação, cultivo e avaliação de plantas silvestres com potencial inserção na agricultura regional, buscando diversificar e ampliar a base das culturas, criando mais alternativas de receita com foco nos pequenos e médios agricultores da região.

3 - Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio)/Núcleo Gestor de Rondônia.

Este programa busca fomentar a ampliação da Base de Conhecimento sobre a Biodiversidade Amazônica, de forma a articular pesquisadores de diferentes especialidades em biodiversidade e de diferentes instituições nacionais.

Estabelecer uma agenda de pesquisa em biodiversidade no Brasil que propicie um ambiente favorável ao desenvolvimento de novos bioprodutos e bioprocessos voltados à conservação e ao uso sustentável da biodiversidade, e que efetive a democratização do conhecimento gerado neste processo.

 
Equipe do NAPRO

 

CHEFE DO NÚCLEO - Raimundo Cajueiro Leandro – Técnico Dr.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Izabela de Lima Feitosa – Técnica Enga.
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Endereço

Núcleo Regional de Apoio à Pesquisas em Rondônia - NAPRO/INPA
Campus da Universidade Federal de Rondônia - UNIR
Rodovia BR 364 | KM 9,5, sentido Rio Branco/AC
Porto Velho – Rondônia
CEP: 76801-059
Fone: +55 (69) 3222-1077

 

Fim do conteúdo da página