Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial > Núcleos e Escritórios Regionais > Núcleo de Pesquisas de Roraima
Início do conteúdo da página

Núcleo de Pesquisas de Roraima

Última atualização em Terça, 24 de Março de 2015, 10h35 | Acessos: 2174

 

Histórico

O Núcleo de Pesquisas de Roraima (NPRR) nasceu através do primeiro convênio firmado entre o INPA e o então Governo do Território Federal de Roraima em 13 de abril de 1984, tendo como diretor do instituto à época o Dr. Henrique Bergamin Filho. Este acordo visava, além da formatação de um núcleo de pesquisas do INPA em Boa Vista, suprir o governo territorial de material bibliográfico e fomentar um sistema de piscicultura que a política de desenvolvimento local queria ver estimulado através da pesquisa aplicada. Entretanto, o setor de pesquisa apenas conseguiu se fortalecer a partir de abril de 1985 com a chegada do Dr. Celso Morato de Carvalho, herpetólogo (hoje no CPBA), para coordenar as relações entre o então Governo Territorial e a direção do INPA em Manaus. Este período coincidiu com a inauguração do Museu Integrado de Roraima - MIRR (13.02.1985) que, naquele momento, tornou-se um forte aliado nas atividades de pesquisa que o instituto havia programado para aquele ano.

Com a mudança da estrutura organizacional do INPA em 1994, os núcleos regionais foram extintos formalmente. No caso do NPRR, a estrutura, a produção científica e o bom relacionamento com os organismos locais, permitiram que o mesmo fosse efetivado como uma Coordenação Técnica e Administrativa (CTA) do Convênio que o INPA ainda mantinha vivo com o governo local (já agora Estado de Roraima). Logo, todo o gerenciamento dos programas de pesquisa de interesse comum entre os dois parceiros passou a ter como gestor técnico e financeiro esta base de pesquisa avançada. Além disto, a sede física de Boa Vista continuou a manter um forte sistema de apoio à pesquisa regional, funcionando como uma base operacional para programas e projetos de pesquisa inter-institucional que solicitavam apoio do INPA. Somado a estas atribuições, a CTA do convênio com o Governo de Roraima oportunizou uma troca de política e a ampliação das relações dos estudantes de graduação regionais com o sistema de pós-graduação do INPA em Manaus. Isto foi possível com a solicitação formal da aplicação das provas de seleção ao mestrado na capital Boa Vista já para o ano de 1995. Com isto, o ingresso de pós-graduandos (nível de mestrado) nos cursos do instituto saltou de apenas dois entre 1986 e 1994 para 8 entre 1996 e 2000. Em adição, neste mesmo período, três alunos de doutorado também concentraram suas atividades na pós-graduação do INPA em Manaus.

Todos estes esforços de parcerias governamentais, adicionados ao Projeto Maracá (1987-88), investigações individuais e atividades de cooperação com outras instituições de pesquisa geraram, até dezembro de 2000, um total de 111 artigos e manuscritos, 12 teses de doutorado, 12 dissertações de mestrado, 8 livros, 4 monografias de especialização e graduação, além de 1 filme de divulgação científica. Isto resultou em uma média de 9,5 “produtos” científicos anuais até 2000 entre todas as modalidades acima citadas. De 2001 em diante, os trabalhos se multiplicaram, podendo ser acessados facilmente nas páginas eletrônicas mantidas tanto pelo INPA quanto pelos parceiros locais (UFRR, Embrapa, IBAMA e FEMACT-RR). Estes últimos fortaleceram ou ampliaram as relações inter-institucionais com o INPA através da discussão de novas visões dos procedimentos nos termos de cooperação técnica e científica, formando vínculos e programas de trabalho muito mais voltados para a realidade local.

A partir do ano de 2005 a direção do INPA entendeu que a política de capilaridade do instituto deveria ser fortalecida. Assim sendo, mesmo que os núcleos regionais ainda não estivessem formalmente anotados dentro do organograma oficial do INPA, foi de interesse da direção geral que as bases regionais se re-estabelecessem, no sentido de dar maior poder de ação pelas competências estabelecidas no instituto. Adiciona-se a este componente, o maior alcance de trabalho e congruência de idéias entre os parceiros regionais, como as fundações, universidades e institutos de pesquisa estaduais. Esta ação político-institucional já está incluída no Plano Diretor do INPA para 2006-2010, sendo meta dentro do Termo de Compromisso de Gestão (TCG) estabelecido entre o instituto e o MCT.

 

Missão

Ainda não está estabelecida a nova missão do NPRR dentro do atual cenário de gestão do instituto. Entretanto, uma revisão geral no planejamento estratégico do INPA deverá indicar que a forte tendência é a de “... manter acesas as parcerias de pesquisa regionais”. Isto deve poder ser implementado com mais vigor através da alimentação dos sistemas de pós-graduação locais, somados aos programas do MCT/CNPq, como por exemplo, PPBio, GEOMA, PPG-7, etc. Todos estes esforços geram informações para o desenvolvimento sustentado da Amazônia, neste caso específico para Roraima, estabelecendo o sistema de capilaridade que o instituto quer gerar com mais ímpeto a partir de 2007.

 

Ações (projetos do núcleo)

Arquivo PDF Baixar quadro de ações

 

Equipe

. Antonio Rossano Mendes Pontes, Pesquisador, chefe do Núcleo.
. Reinaldo Imbrózio Barbosa, Pesquisador Titular.
. Vicenzo Maria Lauriola, Pesquisador Titular
. Rachel Camargo Pinho, Técnica
. Heleno José Pereira Valente, Técnico.

 

Contato

End.: Núcleo de Pesquisas de Roraima (INPA/NPRR)
Rua Coronel Pinto 315 - Centro
69301-970 Boa Vista - Roraima

Tel/fax: (95)3623-9433

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Fim do conteúdo da página